Aniversário do Decênio Heróico

Decênio Heróico?
Pode ser então: Guerra dos Farrapos?
Ou preferes comemorar a Revolução Farroupilha?
Isso deve ser coisa de gaúcho! Claro!
Certamente deves ter acompanhado a "guerra comercial" entre EUA e China. Isso também acontecia aqui no Brasil, lá no século 19.
As famílias rio-grandenses que defenderam o território nacional nas disputas entre portugueses e espanhóis, sofreram a consequência desses conflitos. Os combatentes, para a defesa do território brasileiro, eram gaúchos, mas os comandantes eram do governo central. Como compensação por toda a perda, esperavam que o governo central incentivasse o crescimento econômico do sul, mas não foi isso que viram.
O governo central impôs pesadas taxas sobre produtos rio-grandenses, como charque, erva-mate, couros, sebo, graxa, etc. Não bastasse, aumentou a taxa de importação do sal, do Prata, para a produção do charque.
Insurgiram-se os representantes da classe dominante formada por fazendeiros de gado, em revolta contra o governo central, os quais se utilizavam dos pobres para compor a massa de apoio no processo de luta.

Enquanto era pra reivindicar mais apoio, era uma a situação, mas o silêncio do governo central, mas mudou quando os rebeldes tomaram a capital da Província do Rio Grande, a cidade de Porto Alegre, em 20 de setembro de 1835, obrigando o presidente da província a fugir para a cidade de Rio Grande. Daí veio a resposta do governo imperial, nomeando alguém que não agradasse os farroupilhas. Eles queriam que fosse nomeado alguém que defendesse os interesses dos rio-grandenses.

Foram muitos impasses, muitas tentativas, muitas lutas, muitas perdas, tendo tudo começado pela defesa da economia, passando pela tentativa de tomada do poder, na capital da aprovíncia, para transformar-se em movimento separatista.

Nosso intuito não é o de apresentar a história da Revolução Farroupilha, o que pode ser encontrado em livros e em publicações na Internet, mas de enaltecer os bravos combatentes sul-brasileiros ou mais acertadamente rio-grandenses, os gaúchos.
Não fossem eles, a geografia do Brasil poderia ser diferente, lembrando a Província Cisplatina.
A Revolução Farroupilha, tinha como objetivo propor melhores condições econômicas ao Rio Grande do Sul, mas como já registramos o governo central sempre armava uma contra a província, até que a capital foi invadida. Por isso o 20 de Setembro, é tão importante a este pujante estado e a todo o seu povo.
Registramos o respeito à chamada no hino: "Sirvam nossas façanhas de modelo a toda Terra!"
Muitos do povo rio-grandense já não estão mais em sua cidade-natal, em seu estado-natal, a exemplo de gente de Santa Rosa. Vieram pro Paraná e fundaram a Nova Santa Rosa; foram ao Paraguai e fundaram a Santa Rosa del Monday; e subiram para o Piauí onde fundaram a Vila Santa Rosa, no Município de Uruçui.
Não sabemos se Santa Rosa de Goiás e Santa Rosa do Tocantins tem alguma origem dos gaúchos. Talvez alguém consiga nos ajudar a completar esse registro. Talvez tu?!
Damos um "VIVA!" à gauchada que defendeu nosso território, que preservou seus costumes, e que com direito, honra e orgulho comemora a Semana Farroupilha, o Dia da Guerra dos Farrapos, que durou 10 anos, sendo a mais longa revolta brasileira.

Veja mais em: Só História

BORKENHAGEN35 ANOS VALORIZANDO A DEFESA DE DIREITOS!

Poesia enviada por internauta:
Chimarrão
Autor: Glaucus Saraiva

Amargo doce que eu sorvo
Num beijo em lábios de prata.
Tens o perfume da mata
Molhada pelo sereno.
E a cuia, seio moreno,
Que passa de mão em mão
Traduz, no meu chimarrão,
Em sua simplicidade,
A velha hospitalidade
Da gente do meu rincão.

Trazes à minha lembrança,
Neste teu sabor selvagem,
A mística beberagem,
Do feiticeiro charrua,
E o perfil da lança nua,
Encravada na coxilha,
Apontando firme a trilha,
Por onde rolou a história,
Empoeirada de glórias,
De tradição farroupilha.

Em teus últimos arrancos,
Ao ronco do teu findar,
Ouço um potro a corcovear,
Na imensidão deste pampa,
E em minha mente se estampa,
Reboando nos confins ,
A voz febril dos clarins,
Repinicando: "Avançar"!
E então eu fico a pensar,
Apertando o lábio, assim,
Que o amargo está no fim,
E a seiva forte que eu sinto,
É o sangue de trinta e cinco,
Que volta verde pra mim.

 

Deixar uma resposta