Um governo diferente

Durante o período de campanha eleitoral ouvimos muitas propostas de candidatos.
Se destacarmos os candidatos à presidência da República, percebemos que havia propostas consistentes, havia propostas fracas, havia propostas de renovação, havia propostas de entreguismo, havia propostas de preservação da família, havia propostas de desmoralização da família, entre outras.
Havia também, candidatos que apenas estavam aproveitando a oportunidade de colocarem seu nome, ou seu partido, na vitrine, na telinha, às custas de nossos impostos.

Duas correntes se sobressaíram, as quais terão que se enfrentar no 2º turno, em nova eleição, em 28/10. Aos candidatos, às propostas dos titulares das duas chapas, se unirão outros candidatos com menos expressão em votos recebidos, mas que também representam um segmento da população.

Como se comportarão os eleitores?
Paulo escreveu ao povo da Galácia: "… deixem que o Espírito de Deus dirija a vida de vocês e não obedeçam aos desejos da natureza humana, pois o que ela quer é contra o que o Espírito quer, e o que o Espírito quer é contra o que a natureza humana quer. Os dois são inimigos, e por isso vocês não podem fazer o que vocês querem". [Ouçamos a voz do Espírito de Deus, antes de irmos novamente às urnas!]

O que quis dizer o apóstolo? Que a natureza humana produz: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas. Os que fizerem essas coisas não irão para o Reino de Deus [Se você não professa a fé cristã, também lhe é ensinado que aqueles que procedem mal perante Deus, terão vida eterna desgraçada].

Por outro lado, os que seguem a orientação divina emanam: amor, alegria, paz, paciência, delicadeza, bondade, fidelidade, humildade e domínio próprio. Não há lei divina, nem lei humana (por enquanto) que condene essas coisas. Deixemos que o Espírito de Deus, que nos deu a vida, também controle a nossa vida! Nós não devemos ser orgulhosos, nem provocar ninguém, nem ter inveja uns dos outros.

Daí surgiram perguntas como: Qual candidato ou coligação pregou:
– o respeito para com a família,
– o ensino coerente para as crianças,
– respeitou as igrejas (de diferentes credos),
– disse que vai respeitar a Constituição Brasileira,
– desacreditou a criação divina,
– fomentou o uso de drogas,
– deu tintas de que  diminuirá os direitos da população, centralizando para si o poder?
Se a natureza humana, por si produz coisas abomináveis, como poderiam pessoas de bom senso, de fé cristã, ter votado em candidatos que não apresentaram os frutos do Espírito de Deus?

Atente para isso: Pessoas pobres, de humilde condição social, de baixa escolaridade, foram ameaçadas de que se votassem no candidato A ou B, perderiam seus benefícios. Assim não lhes restou alternativa senão votar em quem lhes prometeu a manutenção de privilégios, ainda que sem o legítimo direito, a outros a manutenção de benefícios, a outros a preservação de um direito que a Constituição prevê, mas que maldosamente determinada coligação disse que outra poderia extinguir.

Preste atenção!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 11/10/2018 no jornal Gazeta Diário – Ano XXI – Mensagem 1.055

BORKENHAGEN 35 ANOS  VALORIZANDO A FAMÍLIA E O BOM RELACIONAMENTO!

 

Deixar uma resposta