Homenage a los niños de Bernardino Caballero

O nome Bernardino Caballero, para quem mora em Foz do Iguaçu, em Guaíra, ou outra localidade fronteiriça ao Paraguai, pode ser tão comum de ser ouvido como o de Duque de Caxias. Ou não?

Que Duque de Caxias esteve envolvido na Guerra do Paraguai, travada entre o Paraguai e a Tríplice Aliança constituída pela Argentina, o Brasil e o Uruguai, quem foi à escola deve saber;

Que durante a Guerra do Paraguai houve a Batalha de Campo Grande, talvez bem menos brasileiros se recordam, e que a Batalha de Campo Grande também é conhecida como Batalla de Los Niños ou Acosta Ñu, talvez só os paraguaios saibam, por seu grandíssimo significado para eles;

Que no início de 1869, já se esperava que a guerra tivesse chegado ao fim com as vitórias de dezembro de 1868, no entanto, López, que evacuava territórios ameaçados deixando a população civil com poucos recursos, havia fugido durante a batalha de Lomas Valentinas, refugiando-se na Cordilheira dos Altos para se recuperar e voltar à luta; que o comandante brasileiro Luís Alves de Lima e Silva, o marquês de Caxias (depois duque), sugeriu que a guerra estava militarmente encerrada, mas Dom Pedro II, imperador do Brasil, exigia que o conflito continuasse até a rendição ou exílio de López; e que Caxias se afastou da guerra em 9 de fevereiro alegando problemas de saúde e que, então, fora substituído por Gastão de Orleans, o Conde d’Eu, fica apontado agora;

Que o exército paraguaio, comandado por Bernardino Caballero, praticamente destruído nas batalhas anteriores, era composto por cerca de 6 mil pessoas, a maioria crianças de no máximo 15 anos, pela falta de soldados veteranos, e do nosso lado havia cerca de 20 mil homens, entre brasileiros, argentinos e uruguaios, no dia 16 de agosto de 1869, nessa que foi a batalha final da Guerra do Paraguai, a história o registra;

Que o local onde se deu a batalha era uma vasta planície, de cerca de 12 quilômetros quadrados, no caminho até Caraguataí, localizada entre o arroio Piribebuí e o arroio Iuquirí, hoje conhecido como o distrito Eusebio Ayala;

Que o ataque brasileiro iniciou com a infantaria, que a batalha durou 8 horas devido à feroz resistência dos paraguaios, que Caballero recuou para o outro lado do rio Juquerí, que a artilharia da Aliança causou grandes perdas aos paraguaios, que a baionetas foram mortos 2.000 paraguaios e 1.200 capturados, e que do lado de cá houve 45 mortos, e 389 feridos, que a história acusa o Conde d’Eu de ter ateado fogo ao capinzal, que o  incêndio não foi controlado e se alastrou pelo campo, matando os feridos queimados ou sufocados, mas Taunay registra que foram os paraguaios para disfarçar sua movimentação, revela um lado obscuro da Guerra.

O general Caballero foi capturado pelos brasileiros no dia 8 de abril de 1870, perto do Rio Apa. Foi solto pouco tempo depois, em maio de 1871 e voltou para Assunção, onde se engajou na política. Se tornou, em 1880, presidente do Paraguai (1880-1886) e participou da fundação do Partido Colorado em 1887.

No Paraguai, o Dia das Crianças passou a ser celebrado em 16 de agosto. É um feriado nacional em memória das crianças que perderam suas vidas nessa batalha.

Eis aqui a razão da homenagem a Bernardino Caballero, eis aqui a razão de homenagear as crianças paraguaias neste 16 de Agosto!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 16/08/2019 no jornal Gazeta Diário – Ano XXII – Mensagem 1.099

BORKENHAGEN 36 ANOS  VALORIZANDO E DIGNIFICANDO HERÓIS MIRINS!

 

Deixar uma resposta