Poderias atuar junto ao Presidente?

Coluna Mensageiro
– Na Semana da Pátria nos enchem a cabeça com mensagens de amor pátrio, no mesmo tempo em que vemos pessoas, e grupos, descontentes com o país, os quais não trabalham para que ele melhore, mas também não querem sair dele.

Enquanto há pessoas – muitas pessoas – que se empenham em resgatar a soberania, o respeito, a confiança do Brasil perante eminentes investidores, há os que criticam, que tentam sabotar toda e qualquer iniciativa, não para implantarem o seu projeto, mas alegar ineficiência de quem governa.

Quem trabalha bem, tem reconhecimento, ainda que demore para ser percebido por quem pode medir a qualidade do seu trabalho.
Na Bíblia, em Provérbios 22.29, na linguagem de hoje, assim consta: “Você conhece alguém que faz bem o seu trabalho? Saiba que ele é melhor do que a maioria e merece estar em companhia de reis”.
Quem faz bem o seu trabalho, inspira confiança, mostra que estudou, que planejou, que executou bem o seu trabalho e pode ser merecedor de reconhecimento.
Se for empregado, pode receber aumento de salário, conseguir uma promoção de cargo ou, sendo um profissional autônomo pode, através do usuário de seu trabalho, receber elogios que culminem na indicação de seus serviços para outros que o possam necessitar.

Próximo do Dia dos Pais alguns falavam em Bill Gates e Amir Klink e na forma de transferirem patrimônio aos filhos.
Jennifer, Rory e Phoebe, filhos de Bill e Melinda Gates ficaram contentes com a decisão dos pais em lhes deixar apenas US$ 10 milhões em herança, a cada um, e a maior parte da fortuna, de cerca de US$ 90 bilhões ser doada para instituições de caridade e à fundação criada pelo casal Gates.
Enquanto Bill demorou dois anos para fazer três cursos de matemática e ciências da computação, mas nunca concluiu a graduação, sua esposa Melinda fez carreira em tecnologia, mas não imaginava como ela mudaria a vida de seus filhos.

Os filhos da Família Gates:
não tiveram um celular antes dos 14 anos,
frequentaram a igreja com seus pais regularmente, e
tiveram uma educação rígida no método “amor e lógica”.
Bill afirma que é importante demonstrar amor incondicional e admiração pelas crianças por quem elas são, e não pelo que conseguem alcançar, a exemplo de notas na escola.
Muitas pessoas sofreram quando pequenas, por terem tirado notas baixas, mas foram bem sucedidas quando adultas. Por quê? Porque fizeram bem feito tudo o que fizeram e isso lhes valeu reconhecimento e sucesso.
Se uma criança é questionada e se deixamos para ela resolver seus problemas, quando adulta saberá dar valor a tudo o que tenha conquistado.

Os integrantes da Borkenhagen Contabilidade têm a seu dispor, a cada manhã, 5 minutos para falarem com Deus, fazerem sua reflexão para que tenham a iluminação, e vivam de bem com os demais membros da Equipe. Têm também 25 minutos para se especializarem naquilo que fazem.

A Oração Matinal propicia, a cada membro, que estude daquilo que é assunto em sua área de atuação. Não queremos formar ‘anjos’ em nossa Equipe, mas que a qualidade do trabalho de cada um seja tal, que os clientes manifestem louvor, e sejam merecedores de reconhecimento.

Alguém aqui formado, poderá não estar, um dia, na companhia de reis, mas poderá, quem sabe, tornar-se Secretário ou Ministro junto ao Presidente!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 06/09/2019 no jornal Gazeta Diário – Ano XXII – Mensagem 1.102

BORKENHAGEN 36 ANOS  ORIENTANDO PARA A QUALIDADE E A SATISFAÇÃO!

 

Deixar uma resposta