O cigarro mata e causa dor na família

Coluna Mensageiro
– As mensagens institucionais contra o cigarro e a alta tributação aos fabricantes, além do combate maciço ao contrabando de cigarro, pode passar despercebido para algumas pessoas, mas são iniciativas louváveis a propiciar mais saúde ao ser humano.

Foi-se o tempo de vermos anúncios cativantes na TV, os quais iludiam os espectadores, como se, quem fumasse pudesse ostentar um padrão, um status, mais elevado que os não-fumantes.

A BORKENHAGEN, em 2010, empreendeu a Campanha Apague o cigarroAcenda a vida!”, a qual pode ser revista em: http://www.borkenhagen.net/campanhas/apaguecig10.html. Houve a adesão de estabelecimentos comerciais, de ensino, de saúde, da imprensa, de finanças, igrejas, entre outros.
Destacamos a participação da UNIMED, da UNIAMÉRICA, dos Desbravadores. Quando da assinatura do Termo de Parceria pelos diretores da Unimed, ouvimos um ‘desabafo’ muito gostoso: “Se não podemos ser protagonistas, sejamos coadjuvantes!

Graças à adesão de tantos parceiros, foram impressos, e distribuídos, mais de 32.000 selos da campanha.
Diretores de colégios estaduais se empenharam em replicar a mensagem, no intuito de alcançar o universo de alunos iludidos com o ‘convite’ nefasto que a imprensa veiculava a favor do cigarro. E nós, todos os envolvidos e participantes da campanha, do outro lado, nos insurgimos contra o cigarro.

Confortantes e também agressivos foram depoimentos ouvidos após palestra na Escola Fluvial, quando um marinheiro contou que, ao perguntar ao filho o que ele queria de presente, ouviu: “Que o pai pare de fumar!” Isso soou como uma sentença. Ele de fato parou de fumar. De outro, foi ouvido que perdeu a mãe, fumante. Após o evento, um dos marinheiros participantes, que tinha prestado atenção na divulgação da Receita  “Como parar de fumar?” afirmou: “Eu já dei o primeiro passo: Não acendi o cigarro da hora!”. A receita está em: http://www.borkenhagen.net/saude/receitafumo.html.

Na campanha foram evidenciados os males causados pelo cigarro, e nas publicações foi dado ênfase para a DPOC – Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.
A DPOC, como já publicamos noutra ocasião, é uma doença caracterizada pela diminuição ou limitação no fluxo de ar aos pulmões, que quase sempre é irreversível. Num gauchês mais apropriado dizíamos que "sufoca o vivente!". Dissemos também que respeitamos a obsessão do fumante em não querer largar o cigarro, mas que não seria justo recorrer à Saúde Pública quando o problema se agravasse. Claro que é direito de todos buscar atendimento, mas a responsabilidade dos familiares em alertar o fumante, também existe.
Quem não consegue convencer seu amigo, seu familiar, a largar o cigarro, por certo poderá acompanhar o sofrimento dele quando não mais puder ‘puxar fôlego’.
É triste perder alguém, nosso, por isso alertamos mais uma vez: acesse os links mencionados acima e alerte quem você ainda puder alcançar!
Como é dia 18: FELIZ DIA DO MÉDICO!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 18/10/2019 no jornal Gazeta Diário – Ano XXII – Mensagem 1.108

BORKENHAGEN 36 ANOS  AUXILIANDO E ALERTANDO PESSOAS A PRESERVAR A SAÚDE!

 

Deixar uma resposta