INÍCIO     |     NOSSA EMPRESA     |     ORIENTAÇÕES    |     MENSAGEIRO     |      ARTIGOS      |     ENTRETENIMENTO    |      BORKINFO     |     FAMÍLIA BORKENHAGEN

Início | Orientações | Saúde | Arquivos | Febre Maculosa

Febre Maculosa

Mortalidade por febre maculosa é pouco comum quando se aplica tratamento precocemente

 

Alguns estados brasileiros estão em alerta devido à incidência da febre maculosa, transmitida por um carrapato, que pode causar a morte. Nesta edição, o Informativo Eletrônico CNPL entrevistou a médica infectologista e professora do Departamento de Doenças Dermatológicas e Infecciosas da Faculdade de Medicina e Enfermagem de São José do Rio Preto-SP, Delzi Vinha Nunes de Góngora, sobre as causas, sintomas e tratamentos da doença. Acompanhe abaixo:
 

Qual o histórico da febre maculosa?

Delzi Vinha Nunes de Góngora - A primeira descrição clínica da doença foi feita em 1899, com um caso ocorrido no Noroeste dos EUA. Deram-lhe denominação de febre maculosa devido às montanhas rochosas existentes na região. A partir da década de 30, a doença passou a ser identificada focalmente em diversos países como Canadá, México, Panamá, Colômbia e Brasil. Aqui, foi detectada pela primeira vez no Estado de São Paulo, em 1929. A partir daí foram diagnosticados casos no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Em São Paulo, até a década de 80, os casos diagnosticados eram provenientes de municípios da área metropolitana, tais como Mogi das Cruzes, Diadema e Santo André.
 

Qual a causa da doença?

Delzi - A doença é causada por uma bactéria intracelular obrigatória Rickettisia rickettsii, que sobrevive brevemente fora do hospedeiro. Os vetores são carrapatos da espécie Amblyomma cajennense, chamados popularmente como "carrapatos estrela", "carrapatos de cavalo" ou "rodoleiros". São hematófagos obrigatórios e necessitam de repastos em três hospedeiros para completar seu ciclo de vida. O homem é intensamente atacado nas fases de larvas e ninfas.
 

Quem são os hospedeiros?

Delzi - Podem ser encontrados em todas as fases em aves domésticas (galinhas, perus), aves silvestres (seriemas), mamíferos (cavalo, boi, carneiro, cabra, cão, porco, veado, capivara, cachorro do mato, coelho, cotia, coati, tatu, tamanduá) e animais de sangue frio (ofídeos). Os humanos são hospedeiros acidentais.
 

Quais são os modos de transmissão?

Delzi - Não se transmite diretamente de uma pessoa para outra. O carrapato permanece infectante por toda sua vida, que dura, aproximadamente, 18 meses. A maior incidência é durante a primavera e o verão. Para que a bactéria R. rickettsii se reative e possa ocorrer a infecção no homem, é preciso que o carrapato fique aderido por algum tempo - de 4 a 6 horas. Pode também ocorrer contaminação através de lesões na pele, pelo esmagamento do carrapato.
 

Como a doença pode ser diagnosticada?

Delzi - A febre maculosa começa subitamente com febre de moderada a alta, que dura geralmente de duas a três semanas. É acompanhada de cefaléia, calafrios, e congestão das conjuntivas. Ao terceiro ou quarto dia, o infectado pode apresentar exantema maculopapular, róseo, nas extremidades, em torno do punho e tornozelo, de onde se irradia para o tronco, face, pescoço, palmas e solas. São freqüentes petéquias e hemorragias. Alguns casos evoluem gravemente, ocorrendo necrose nas áreas de sufusões hemorrágicas, em decorrência de vasculite generalizada. Sintomas como torpor, agitação psicomotora, sinais meníngeos são freqüentes. A face é congesta e infiltrada, com edema peripalpebral e infecção conjuntival. O edema aparece também nas pernas, que se apresentam brilhantes. Outros sintomas comuns são tosse, hipotensão arterial e hipercitose liquórica. A letalidade é aproximadamente de 20% na ausência de uma terapia específica e é pouco comum quando se aplica o tratamento precocemente.
 

Quais exames detectam a doença?

Delzi - Os exames laboratoriais a serem feitos são o sorológico (para detectar a presença de anticorpos) e o de cultura (para isolar o agente etiológico). No estado de São Paulo ambos são realizados pelo Instituto Adolfo Lutz.
 

Como evitar a febre maculosa?

Delzi - Não entrar em contato com o carrapato, mas quando acontecer, retirar o carrapato o mais rápido possível da pele.

Avenida Salvador Guerra, 80 - Jardim América - Foz do Iguaçu, PR | Fone/Fax: 45 3028 6464

Borkenhagen Soluções Contábeis Ltda.

Copyright © Desde 1997 - Direitos reservados