Esforço físico ou Exercício físico?

Há pessoas que depois de trabalhar o dia inteiro não se sentem realizadas, não perdem peso, não ficam dispostas e reclamam que parece que nem vale à pena o esforço que fazem o dia todo, pra não alcançar boa performance.

Depende muito do tipo do trabalho que realizam, pois se não for ritmado, continuado, aeróbico, não vai trazer muito mais do que canseira, agora se souberem dar ritmo ao trabalho, daí pode ajudar.

Disse alguém que pra fazer efeito “tem que bufar!”

Se, por exemplo for fazer uma caminhada, apenas ‘carregando o corpo’ de um lugar para outro, ou no trajeto definido, não vai adiantar, mas se apressar o passo, se der passadas largas, se tiver aclive e declive, se transpirar, se sentir a respiração ofegante, daí estará fazendo efeito. Pode até encurtar a distância que fará mais efeito do que uma caminhada bem mais na maciota.

Caminhar, correr, andar de bicicleta, nadar, praticar esportes de quadra, são atividades que, se tornadas prazerosasmotivarão sempre mais o praticante a continuar o exercício, que não requererá muito esforço, e lhe propiciará satisfação, além do bem que estará fazendo à saúde. Mas todos precisam praticar algum desses exercícios? Ah, principalmente os que tem uma vida sedentária.

Vida sedentária? É de quem vive sentado? Pode ser, mas pode ser também de quem vive uma vida largada, que se joga no sofá por muito tempo, que não se exercita por algum tempo no dia, que não se preocupa sequer com um alongamento antes de iniciar sua rotina diária.

Imagine um programador, ou um projetista!
Eles quase não tiram o traseiro da cadeira, quase não saem da sala em que estão a desenvolver o programa ou o projeto. Eles sentem ansiedade pelo andamento e pela conclusão de sua arte. A ansiedade pode fazê-los avançar mais que as outras pessoas em alimentos ricos em gordura ou em açúcar, não os queimando durante a atividade. Podem acabar ficando balofos, se não compensarem o desgaste mental, com um exercício físico. Ah, e não adianta querer ser esportista de fim de semana, pois gastar-se exageradamente no fim de semana também não supre a necessidade da semana de queimar gorduras acumuladas.

Quem pratica exercício não limitado a esforço físico, poderá muito mais estar de bem consigo mesmo e, assim, contagiar as pessoas que com ele trabalham. Com melhor humor e autoestima o rendimento no trabalho melhora. Quem não se acomoda, quem não se aceita como um sedentário, mas vai em busca de qualidade de vida, se comunica melhor e convive melhor em grupo. Detalhe que não pode passar despercebido é o cuidado com a alimentação. Já mencionamos a ingestão de alimentos por ansiedade, causada pela atividade desenvolvida, mas a obesidade pode ocorrer ainda naqueles que praticam esportes, no entanto não sabem escolher os alimentos adequados e necessários para seu biotipo. Saber escolher a boa alimentação pode ajudar a prevenir a hipertensão, o diabetes e a obesidade.

Trabalhe você no que trabalhar, exercite-se você naquilo que lhe cai bem, naquilo que seu corpo aceita e suporta, coma você aquilo que comer, delicie-se você com a sobremesa que escolher, mas não esqueça que “todo exagero é maléfico”. Trabalhar, malhar, comer e, beber cervejas além da cota, pode não trazer o melhor resultado.

Edvino Borkenhagen
Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003, Títulos e Documentos
ANO XX, Mensagem 1.018

Se lhe restar tempo e disposição de nos enviar sua apreciação, clique aqui.

BORKENHAGEN 34 ANOS ACONSELHANDO E ESTIMULANDO PARA O BEM!

Deixar uma resposta