Estás feliz com o que tens?

Quem já ouviu o palestrante Alfredo Rocha deve ter percebido que ele é um excelente motivador. Em suas falas ele incentiva o trabalhador (empregado e empregador) a sempre ser contemporâneo, ou estar contemporâneo. Para aqueles que reclamam que não tem salário melhor, ou que não tem lucro maior, ele desafia: tens-te atualizado?

Temos um quadro com a História do Lenhador, impressa nos tempos do Print Master, em DOS, numa impressora matricial, onde está escrito assim: “Certa vez, um jovem residente de uma pequena cidade do interior necessitava urgentemente de um emprego. Não existia porém, nenhum trabalho disponível a não ser o de ‘lenhador’, com o que ele concordou. Procurou aprender essa profissão, dando início às suas atividades. No primeiro dia cortou 10 árvores, no segundo, 8 árvores e no terceiro, 6. Sua produção caía. Contou ao mestre. O Mestre perguntou: ‘Você, em algum momento, parou para afiar o machado?’” Daí, lá nos anos 80 foi incluída mais uma pergunta para colocar o quadro no SESCAP, assim: “Você, Contabilista, tem afiado o conhecimento nos livros?”

Pois é, cada qual pode ter essa historinha na sua mesa de trabalho; ao lado de seu principal equipamento de trabalho, na fábrica; numa parede do vestiário para vê-la antes de iniciar seu expediente; ou em outro local em que a possa visualizar com facilidade.

Tá, pensamos em motivação para não acontecer como com aquele empregado que reclama que seu salário não aumenta tal qual o do colega da mesa ao lado, mas não quer se dar conta ele, que o colega ao lado está buscando sempre mais orientação para estar atualizado, ou como aquele que diz: “Faz 5 anos que faço isso sempre do mesmo jeito, mas não sei porque não tenho rendimento!” Claro, não se atualizou para as técnicas já existentes! Precisa ter motivação e dedicação.

Mas há um provérbio bíblico do qual extraímos o seguinte entendimento: “Não me deixes mentir, nem ficar rico nem pobre. Se tiver mais do que o necessário, posso querer dispensar Deus, e se tiver menos, posso ser tentado a roubar”. Sejamos coerentes em tudo o que fizermos, e que tudo seja para honra do nome de Deus!

Uns pensam que para terem um final de ano feliz, precisam trocar alguns móveis; outros pensam que precisam remodelar espaços, ambientes, piso, cortinas, para ter um novo aspecto para quando vierem visitas; outros pensam em trocar de carro, pois se pintar uma viagem de férias, nada melhor que um carro mais novo, mais confiável; outros pensam em elaborar uma lista de itens a adquirir para a ceia de Natal e ajustam detalhes  para que todos da família possam participar; e ainda outros pensam numa lista de itens a comprar para preparar um Natal digno para pessoas mais necessitadas, pois têm em mente o 2º Mandamento de Jesus: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo!

Resumindo: Há muitas formas de ser feliz, mas nem todas garantem felicidade para longo tempo, pois se apagam muito rápido.
Faça a boa escolha,
dedique-se,
avalie as consequências,
descarte os medos,
acerque-se de pessoas confiáveis,
procure estar mais perto de quem sabe mais que você,
compartilhe o que você sabe para que também outros cresçam,
cultive vaidades puras,
evite denegrir a imagem de outros e
SEJA FELIZ
!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 14/12/2018 no jornal Gazeta Diário – Ano XXI – Mensagem 1.064

BORKENHAGEN 35 ANOS  ENALTECENDO QUEM ATUA COM DIGNIDADE!

 

Deixar uma resposta