Te pegaram numa fake news, é?!

Coluna Mensageiro
– Conta a história que, em Londres, há muitos anos, havia certa ‘guerrinha’ entre banqueiros.
Quando a ‘guerra’ é por dinheiro, o que não falta são armadilhas, são mentiras pregadas como verdades, para tentar derrubar o outro, não é?!
Pois, o diretor-presidente do Banco Alfa armou um esquema para quebrar o Banco Beta, contratando pessoas desconhecidas para atuarem como disseminadores de uma notícia bombástica, incrível, irreversível.

Para espalhar uma fake news, as pessoas contratadas se movimentavam, e se revezavam, bem vestidas, com cartolas, à frente da agência do Banco Beta.
Toda vez que entrava um cliente potencial comentavam entre si:
– “Sabias que o Banco está quebrado? Hein? Pois é, eu já tirei todo o meu dinheiro antes que feche, e eu fique sem o meeu!”;
– “Já tirei todo o meu dinheiro do banco! Mas por quê? Ora, o banco está falido! Não vai ter dinheiro pra devolver para todos os depositantes!”;
– “A maioria dos meus amigos já sacou o que tinha no Banco. Ninguém quer esperar o banco quebrar pra ficar na saudade, e no prejuízo! Prejuízo? Vais dizer que não sabias que o Banco está falindo?”; e
– “Tira teu dinheiro do Banco, antes que feche, porque depois que quebrar não sei de onde vão ter dinheiro pra te pagar! Como assim? O Banco é só aparência, mas está quebrado!”.

De fato, chegou o final do dia e o Banco Beta não tinha “Disponíveis” para atender a demanda de saques que ocorreram no dia, sem que a Direção do Banco soubesse o que teria motivado essa demanda toda num só dia.
Pois é, a fake news foi arquitetada, apresentada informalmente e propositalmente, a clientes de grande porte, os quais avisaram seus amigos e o efeito foi exatamente o planejado.

Estás vendo que a fake news só tem roupagem de Século XXI?!
Ela já existia há muitos anos, mas não com a ênfase, ou com o reforço que a tecnologia hoje em dia propicia.

Muito bem antes, já houve uma advertência de Deus para o povo de Israel, como a Bíblia registra em Êxodo 23 1-2: “Não espalhe notícias falsas e não minta no tribunal para ajudar alguém. Não siga a maioria quando ela faz o que é errado!

É muito comum, pessoas que participam em grupos, por exemplo, de Whatsapp, onde alguém recebe uma ‘notícia bombástica’ envolvendo certa personalidade e, no afã de avisar os demais participantes do grupo, ela imediatamente compartilha a ‘notícia’, para que mais pessoas saibam do ocorrido.
Dessas pessoas que foram alcançadas pela tal ‘notícia’, diversas a compartilham em outros grupos, no afã de alertar os integrantes daquele grupo.
Mal sabe o primeiro personagem que a ‘notícia’ que ele recebeu se trata de uma fake news, de uma mentira, de uma calúnia, mas como não buscou saber da veracidade dela, a repassou provocando um estrago incalculável contra a imagem da pessoa afetada.

Na corrida eleitoral, no Brasil ou fora dele, vimos isso ser noticiado e vimos o estrago causado, não é?!
Preparemo-nos pois, para 2022 muitos ‘plantadores de notícias’ já estão se armando para bombardear candidato(s) oposto(s)!
Antes de repassar, consulta a veracidade, tá?!

Que  as fake news não encontrem eco em teu grupo e, muito menos, em tua família!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 04/06/2021 – Ano XXIV – Mensagem 1.193
Leitura crítica antes de publicar, por: Aldo Felipe Bilésimo de Jesus

BORKENHAGEN 38 ANOS  PRATICANDO E INCENTIVANDO A VERDADE!

 

Deixar uma resposta