E a Bandeira vai continuar hasteada?

Coluna Mensageiro
– Quem pode, ou deve, hastear a Bandeira do Brasil?
A Bandeira é hasteada com o objetivo de estimular o sentimento de nacionalidade.
Pode ser hasteada e arriada a qualquer hora do dia. Em geral é hasteada, pela manhã, por volta das 08h, e arriada, ao entardecer, por volta das 18h.
No Dia da Bandeira, que é comemorado em 19 de Novembro, o hasteamento é feito às 12h, com solenidades especiais, inclusive com a incineração de bandeiras velhas, desgastadas pelo efeito das intempéries, pelo tempo de exposição.

De acordo com a Agência Senado, vimos que, para o consultor legislativo de Cultura e Esportes do Senado, Gabriel Firme, os símbolos nacionais representam a nação brasileira e os fundamentos constitucionais:
– a soberania,
– a cidadania,
– a dignidade da pessoa humana,
– os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e
– o pluralismo político.
Assim, utilizar as cores da bandeira demonstra que respeitamos a Nação; hastear a Bandeira significa respeito à Nação. Onde e quando hastear, é assunto para o Dia da Bandeira.

Mas e um estabelecimento comercial, de prestação de serviços, ou uma entidade de apoio a determinada causa “justa”, pode hasteá-la? Claro que pode!
Durante a Semana da Pátria vimos inúmeras vitrines ornadas com a Bandeira do Brasil, em demonstração de respeito à data comemorada.

Não há obrigação de ornamentar com bandeiras, bandeirolas, balões verdes e amarelos, para demonstrar que também neste estabelecimento é valorizada a liberdade, a livre iniciativa, que lhe é assegurada na Constituição.

Na BORKENHAGEN Contabilidade temos 4 mastros, nos quais são hasteadas, todos os dias em que haja expediente, no início do expediente, e arriadas ao final do expediente, as bandeiras:
– de Foz do Iguaçu,
– do Brasil,
– do Paraná e
– da Borkenhagen.

Como forma de incentivar o civismo é elaborada uma tabela de duplas que assumem essa tarefa por 2 semanas, para então assumir a dupla seguinte. Em dias festivos pátrios, é hasteada a Bandeira do Brasil, como sinal de reconhecimento da soberania, submissão às autoridades e respeito às leis vigentes.

Em paralelo, no quintal ao lado, residência da família, também assim se procede em dias festivos pátrios. Especificamente em 2021, quando o dia 07 cai numa terça-feira, preferimos manter o hasteamento, do dia 1º até o final da semana do dia 7. O patriotismo não termina no entardecer do dia 7 de Setembro, e também não termina no dia 10.

Considerada a ênfase dada ao hasteamento do pavilhão nacional, importa acentuar que usar fitas, broches, balões, bandeirolas, bandeiras ou outra forma de ostentar o verde-amarelo característico da nação brasileira, na Semana da Independência, ou no Mês da Independência, é uma demonstração de amor à pátria e, de forma alguma poderia ser alusão à cor da seleção de futebol, à cor de um partido político, ou a qualquer outra motivação.

Não exaltar as cores do Brasil, em período festivo, preferindo outras cores, é de pleno direito de quem as preterir, mas também pode ser uma atitude de isenção, omissão, ou agressão aos valores que os cidadãos brasileiros prezam.
Não tivemos desfile de 7 de Setembro, este ano, mas Foz do Iguaçu nunca antes viu tantas bandeiras tremularem nas mãos de cidadãos iguaçuenses!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 10/09/2021 – Ano XXIV – Mensagem 1.207
Leitura crítica antes de publicar, por: Cristofer Alexandre Mattos Fernandes

BORKENHAGEN 38 ANOS  RESPEITANDO E SEMEANDO O AMOR PÁTRIO!

 

 

Deixar uma resposta