Quanta fraude surgiu esse ano?!

Coluna Mensageiro
– No meio de uma pânicodemia, muita gente irritada apareceu; muita gente triste se mostrou; muita gente ‘sábia’ (pero no mucho) se apresentou, a ponto de o cidadão comum (nós) ter ficado até com receio de dizer algo contrário ao que por alguns meios de comunicação era disseminado, ou praticar algum ato que fosse interpretado como atividade proibida, para o momento, tudo por medo de apanhar e ser preso.
Vivemos dois anos nos adaptando aos medos pregados pelas autoridades que se mostravam seguras do que diziam.

Na página do FIOCRUZ, na Internet, para um questionamento sobre tempo de permanência do coronavírus em determinadas superfícies, assim foi publicado em 16/06/2020, atualizado em 07/06/2021: Um estudo publicado no New England Journal of Medicine descobriu que o vírus é viável por até 72 horas em plásticos e aço inoxidável, 24 horas em papelão e 04 horas em cobre.
A quantidade de vírus existentes nas superfícies vai diminuindo com o passar das horas, reduzindo o risco de contaminação. O mais importante é evitar tocar em superfícies com as quais muitas pessoas têm contato, o que inclui mesas, bancadas, maçanetas, interruptores, telefones, teclados, torneiras etc. A limpeza das superfícies com desinfetante ou sabão é muito eficaz.

Sim, a higiene nunca poderia ter sido descartada; o uso de álcool gel, em vez de ser uma solução para onde não fosse possível lavar as mãos com água e sabão, foi divulgado como “o meio de se resguardar do coronavírus”.

Acreditamos que estamos superando o drama da COVID-19, com uma certeza: Se as pessoas contaminadas, sabedoras da contaminação tivessem respeitado a quarentena, o resultado já poderia ter sido muito melhor! Mas nem só com relação à COVID-19 ouvimos falar de fraude!

Quando o Governo Federal instituiu o Auxílio Emergencial como forma de ajudar trabalhadores informais a lhes garantir uma renda mínima durante o período em que autoridades estaduais e municipais decretavam lockdodwm’s, soubemos que a corrida foi grande, por ser dado voto de confiança aos cidadãos que procuravam se habilitar.
Inúmeros casos foram divulgados pela imprensa, inclusive, dando conta de que até servidores públicos teriam sido incluídos, e de correntistas de bancos que teriam sido incluídos pelo gerente de sua conta.
Quando o cruzamento de informações que o Governo tem, acusou que alguém recebera indevidamente o Auxílio”, teve que devolvê-lo.

Falavam, ainda, os melhor informados pela ‘rádio povo’ que gente que precisava não recebia, enquanto que para quem não precisava, o governo estava pagando. Coitados esses melhor informados! Quem não preencheu os requisitos, não teve a documentação completa, ou correta, a informar, claro que não conseguia se habilitar. NOTA: A nenhum cidadão é imposto empecilho para conseguir sua documentação!

Como repartições públicas deixaram de prestar atendimento presencial, muitos serviços tiveram que ser implementados para o atendimento virtual. Foi um avançao enorme!
Quem tinha que buscar algo, ou fornecer alguma informação ou documento, o fazia digitalizado.
Daí poderiam ter ocorrido fraudes, mas não esqueçamos que o Fisco tem 5 anos para verificar a veracidade da documentação.

Avalie como você se portou em 2021, e planeje bem para o ano de 2022!
Abençoado novo ano!

Edvino Borkenhagen
Imagens: Saúde Abril e Agência Brasil

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 30/12/2021 – Ano XXIV – Mensagem 1.223
Leitura crítica antes de publicar, por: Valdeci Luiz Lepinski

BORKENHAGEN 38 ANOS  ENCERRANDO O ANO COM OTIMISMO!

 

Deixar uma resposta