Quantos anos tens, de Foz do Iguaçu?

Coluna Mensageiro
– Havia num lindo gramado em frente a uma linda casa, lá em Santa Rosa, minha cidade natal, no Rio Grande do Sul, uma tabuleta com os seguintes dizeres: “Quantos anos você tem, quantos quilos você pesa? Parabéns, está gordinho! Então não pise na grama, pois você não é passarinho!” Aquela tabuleta me fez perceber o quanto aqueles moradores davam valor ao jardim de sua casa.

Lá em casa não era diferente! Quando dava a temporada de chuva em época própria para renovar o jardim da casa, nós, os filhos, trabalhávamos bastante, junto com a mãe, com o intuito de deixá-lo com nova cara. Canteiros era reformados, plantas eram divididas em diversas mudas, ou eram replantadas em novo canteiro, enfim mexia-se no paisagismo com muita gana, para nos prepararmos para a estação das flores.

Amor ao lugar onde se reside não depende se a propriedade é do morador, ou se pertence a outro, e é utilizada por locação ou por cessão de uso. Quem não tem amor próprio suficiente, não vai sentir amor pelo chão em que pisa, em que vive.

Em 1972, quando estudava no 3º ano do Científico, no Colégio Estadual Monsenhor Guilherme, a diretora, Profª.Aglael Morgenstern Oliva, dizia que: “Muita gente vem pra Foz, pra ficar aqui 2 anos, encher os bolsos, e ir embora. Eu conheço gente que está aqui há 10 anos e está esperando completar os 2, pra poder ir embora!”.

Lembras do Trevo da BR 277, que era o início da BR 469?
Lembras que do trevo (atualmente temos o Viaduto da JK) até Av.República Argentina, na esquina onde havia o Posto do Menon, do Sr.Zeferino Menon, o trajeto era chamado de Via Fulgêncio Pereira?
Lembras que a Avenida Brasil era de duas pistas, e que a da direita (norte-sul) era federal, era a BR 469, e que a esquerda, desde a Av.Jorge Schimmelpfeng até a Av.República Argentina, era municipal?
Lembras, assim também, que a Av.Jorge Schimmelpfeng, dali do alto da Av.Brasil à atual baixada do M’Boicy, a pista da direita (sentido oeste-leste), era a continuação da BR 469, que, à época tinha quase 30km?
Lembras que, na remodelação da Avenida Brasil, para pista de sentido único tiveram que tirar as árvores do canteiro central?
Lembras que o coqueiro (Côco Jerivá) que havia em frente ao Hotel Diplomata e o que havia em frente ao Correios, foram replantados no canteiro central da Av. Jorge Schimmelpfeng?

Pois é, e lembras que a atual Avenida Juscelino Kubitschek, dali da Av.República Argentina até o IBC, esquina com a Rua Quintino Bocaiúva, onde atualmente está o Bombeiros, era denominada Rua Major Raul de Matos? E lembras que essa rua, ainda de chão batido, ou cascalho, tinha valas abertas nas laterias para escoamento da água que vertia na região, da esquina do Caruso até onde mais tarde era o Fouad Center, pois era um banhadal?

Se para ti isso é novidade, então tens pouco tempo de Foz do Iguaçu!
Então dizer que a Av.República Argentina, dali da Rua Almirante Barroso até o trevo do Café Presidente era de apenas uma pista, com faixas nas duas direções, até os “Anos 70”, te pareceria inimaginável, não é?!

Valoriza a cidade onde moras e onde ganhas o teu pão de cada dia, pois Foz merece ter cidadãos dignos, ordeiros e íntegros!

Viva os 108 Anos de Foz, com muito amor!

Edvino Borkenhagen
Crédito figuras:
Av Brasil – 2 pistas – Blog citytourfoz
Av.Brasil reurbanizada – Galeria da Arquitetura

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 10/06/2022 – Ano XXIV – Mensagem 1.246
Leitura crítica antes de publicar, por: Pelo autor

Viva os 108 Anos de Foz, com muito amor!

Avenida Brasil, antiga com 2 pistas – esquerda: municipal, e direita: federal

Avenida Brasil, atual – reurbanizada, arborizada e florida

BORKENHAGEN 39 ANOS  RESPEITANDO O ALVARÁ DE LICENÇA!

 

Deixar uma resposta