Dou meu sangue para que tu vivas!

Coluna Mensageiro
– Volta e meia recebe-se uma mensagem pelo WhatsApp ou por e-mail, de um chamamento para doação de sangue para salvar a vida de uma pessoa em específico.
Nos grupos de contatos de membros de igrejas, ou de familiares, ou de praticantes de determinado esporte, é comum esse tipo de chamada.
Daí, independente, do tipo sanguíneo, os doadores, habilitados, se dispõem a doar.
Inúmeras vezes ouve-se a imprensa alardear a necessidade de doação para completar o estoque e a diversidade de sangue necessário, no hemonúcleo da cidade.
Militares também são convidados nesses casos, e há uma boa resposta.

Tá, mas e quem pode precisar de sangue?
Ah, um doente acometido de câncer, para manter-se forte o suficiente para suportar a quimioterapia, pode necessitar de sangue.
Uma pessoa, vítima de acidente de trânsito, pode sair lesionada e pode precisar de sangue para superar o baque.

Quando começa Dezembro, a nossa agenda, por vezes, precisa ser revisada, para sabermos se poderemos atender todos os convites para celebrações, ou se poderemos realizar nossa celebração na data imaginada.
Na quase totalidade das celebrações ocorre o consumo de bebidas alcoólicas.
Não se trata de consumir ou não um vinho, uma cerveja, um destilado.
O detalhe que tem de ser levado em consideração é: “Se for doar sangue, não beba! Espere só 1 dia!”.
Sim, esse um cuidado por excelência, para que o sangue não fique inapropriado para utilização em pessoa enferma.

Requisitos para ser um doador de sangue:
Estar em boas condições de saúde.
Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos (menores de 18 anos, consultar o Hemonúcleo).
Pesar no mínimo 50kg.
Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).
Não ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade ou cópia autenticada; Cartão de Identidade de Profissional Liberal; Carteira de Trabalho e Previdência Social; Carteira Nacional de Habilitação, digital ou física; RNE – Registro Nacional de Estrangeiro; Título de Eleitor Digital, desde que tenha a foto; e Passaporte brasileiro com filiação).
Principais impedimentos definitivos, à doação:
Hepatite após os 11 anos de idade; AIDS e doenças associadas; Doença de Chagas; Malária, Doença de Parkinson; e Uso de drogas ilícitas injetáveis.

Pode doar em qualquer época?
Não!
Homens devem respeitar intervalo de 60 dias entre uma doação e outra, e máximo de 4 doações nos últimos meses;
mulheres, intervalo de 90 dias, e máximo de 3 doações nos últimos 12 meses.

Cuidados: – Honestidade na entrevista, antes de doar sangue, também pode ajudar a salvar vidas;
Vai viajar? Vai ingerir bebida alcoólica? Espere só 1 dia!; e
Primeiro doe sangue! Alguém, ou você poderá precisar!

UMA DOAÇÃO PODE SER A SALVAÇÃO!

Edvino Borkenhagen

Coluna Mensageiro – Registro 0123526, 18/08/2003 – Títulos e Documentos
Publicada em 02/12/2022 – Ano XXV – Mensagem 1.271
Leitura crítica antes de publicar, por: Wanderlei Godinho

BORKENHAGEN 39 ANOS  PRATICANDO RESPONSABILIDADE SOCIAL!

Aprecie, desfrute e compartilhe esta tabela!

 

Deixar uma resposta