(45) 3028-6464

Avenida Doutor Damião, nº 62 - América

É pior a Escuridão ou a Ingratidão?

Coluna Mensageiro
– A escuridão é a falta, a ausência, de luz, assim como o frio é a ausência de calor, ou assim como a Ingratidão é a falta de amor, de gratidão.

O que isso tem a ver com o Dia de Reis, quando a cristandade relembra a vinda dos sábios, do Oriente, para visitar o Menino Jesus, na casa em que vivia dias após o nascimento?
Estes sábios, também tratados como reis magos, estudavam o espaço celeste e, dentre todas as estrelas perceberam uma que os escritos apontavam que seria a que representaria aquele que as profecias indicavam que seria o novo rei, o salvador da humanidade.
Estes sábios visitaram o rei Herodes e perguntaram acerca do lugar onde teria nascido Jesus.
Conversa vai, conversa vem, o rei lhes pediu que depois de o terem visitado retornassem para contarem-lhe acerca do Menino. Eles, entretanto, advertidos por sonho, retornaram por outro caminho.
Teriam eles agido com Ingratidão para com Herodes que, na verdade intentaria matar Jesus porque pensou que teria nascido para tomar o seu lugar? Aqui não podemos ver Ingratidão, não!

Um cidadão veio pedir emprego numa cerealista. Não havia vaga.
Disse que não tinha onde morar com sua esposa e seus 2 filhos.
O dono da cerealista, por compaixão, lhe ofereceu uma das casas de empregados que estava desocupada, para que a ocupasse por no máximo 3 meses, pois daí necessitaria dela para alojar um técnico com sua família.
A casa foi limpa, para acomodar o desempregado e família.
Passados os 3 meses o dono lhe pediu para desocupar, mas o beneficiado disse que não teria para onde ir, apesar de já estar trabalhando numa empresa, como freelance, não saiu e ainda ficou mais 2 meses.
O dono da cerealista lhe deu uma ajuda financeira para que pudesse aliviar sua necessidade.
Surpresa para o empreendedor foi, no dia seguinte à partida daquela família, receber uma intimação do Ministério do Trabalho, onde constava a reclamação da falta de pagamento de salários, por parte daquele que recebeu a casa pra morar, de graça. Ele usou como testemunhas, motoristas de caminhões que, costumeiramente, ali descarregavam cereais. Aqui, sim vemos um caso de Ingratidão!

Casais com filhos também podem experimentar situações inusitadas com eles. Deram-lhes amor, ajudaram-nos a se estabelecer, ajudaram-nos nas situações em que não se saíram bem no trabalho, no casamento, ou nos negócios. Ocorre, porém, que a partir de certo tempo um dos descendentes pode se achar acima dos demais; não mais se manifestar em grupo de conversas da família; evitando cumprimentar os pais; evitando se reunir com a família; evitando, enfim trocar ideias com irmãos e pais. O amor, a dedicação dos pais, o auxílio financeiro pode passar a ser ignorado, devido à soberba, eventualmente nele brotada. Aqui podemos visualizar Ingratidão, sim!

Pais de família numerosa, que batalharam duro, dando o melhor possível para todos os filhos, agora, na velhice, tendo que se locomover com andador; receber banho e higienização por parte de filhos, não encontram filhos, ou apenas um, que se disponha a realizar essas tarefas. Assim, ficam em sua casa, tendo a companhia de pessoa estranha colocada como “cuidadora de idosos”. Isso é Ingratidão, ou são os novos tempos?

HONRE OS PAIS PRA RECEBER A BÊNÇÃO!

Edvino Borkenhagen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *